Copa Amstel feminino

No sufoco

Data da publicação: 04/09/2019

O duelo entres as atuais campeãs da série A e as atuais campeãs da série B na VI Copa Amstel Playball foi eletrizante. O Corinthians penou bastante com a defesa do Asjaques, mas conseguiu a vitória por 4 X 2 na última rodada de grupos. Destaque para Thaisinha, camisa 33 do Corinthians, que anotou o seu no momento mais difícil da partida e ajudou a levar mais tranquilidade à sua equipe.
A partida iniciou com o Asjaques tentando surpreender as adversárias, mas o Corinthians impediu e jogou cercando as Jaques em busca de um gol, mas a equipe vermelha e branca se defendia muito bem. As Jaques camisa 4, Clara e camisa 5, Isabella faziam muito bem o trabalho da defesa, e evitavam os ataques que passavam da intermediária. A equipe corintiana jogava melhor, mas a marcação do Asjaques funcionava bem e impediu as adversárias de concluir em gols suas jogadas.
O Corinthians jogava com muito toque de bola e a marcação forte do alvirrubro Asjaques dificultava o jogo alvinegro, que tentou chegar com Simone, a camisa 13, mas o chute bateu na trave. O Asjaques se propuseram a segurar o Corinthians em seu campo de defesa e a tática funcionou bem no primeiro tempo. O time alvinegro pressionava, buscava espaço, procurava tocar a bola, mas não conseguia abrir o placar. 
O alvinegro tentava encaixar as jogadas encontrava dificuldade em rodar a bola até chegar ao gol, como gosta de jogar. O Asjaques dava trabalho para o Corinthians se defendendo muito bem e arriscando jogadas quando encontra algum espaço. O objetivo das alvirrubras no primeiro tempo foi segurar o ímpeto do time corintiano e isso elas conseguem fazer muito bem, pois os primeiros 25 acabam sem gols. 
Na segunda etapa, o Corinthians volta ainda mais agudo e abre o placar antes de completar o primeiro minuto de jogo. A camisa 30, Natalia Luana recebeu dentro da área e abriu o placar com chute rasteiro sem chance de defesa.  
Asjaques sente que pode mais além de se defender. A camisa 17, Renata, acertou um chute e a bola explodiu no ângulo e saiu, para a sorte do Corinthians e da goleira que só olhou. Mas elas não desistiram, aos 10, empatam com a camisa 4, Clara, que disputou a bola com a goleira Monique. 
Depois que conseguiu o empate, o Asjaques fechou ainda mais a defesa. Todo o time permaneceu no campo de defesa, dificultando  toque de bola rápido e infiltrações do Corinthians. O alvinegro, com mais posse de bola, perde várias oportunidades de ficar à frente do placar, com a camisa 2, Danila e com a camisa 9, Ana Lucia.
O Asjaques jogou com muita garra na defesa, fechando bem os ataques, se esforçando para impedir os ataques do Corinthians. As jogadoras se dão, se doam, pulam em todas as bolas, aparecem para pegar e o Corinthians sente bastante dificuldade nesse jogo, aparentemente o time mais difícil que o Corinthians enfrentou até aqui no campeonato. 
O time do Asjaques marca muito bem, marca forte, diminui os espaços que o Corinthians encontrava para jogar. O que dificultou bastante, pois é um time que gosta de espaço, que gosta tocar a bola e utilizar bem os limites do campo. Em uma das jogadas de ataque do Corinthians, a goleira do Asjaques faz uma bela defesa em chute de Cássia, camisa 10 em duas oportunidades. 
O Corinthians fica mais nervoso e perdeu muitas oportunidades que não tem costume de perder, além das duas com Cássia, uma outra com a camisa 5, Bárbara. Sente dificuldades em furar a defesa do Asjaques, mas se mantém buscando  placar. Mas é o recuado Asjaques que vira o jogo para cima do Corinthians. Aos 18, Bianca Florez, a camisa 16, recebeu ainda no campo de defesa, em um erro do Corinthians e avança, dribla a marcadora, consegue avançar mais e quando chega próximo ao gol, chuta cruzado, sem chance de defesas para a goleira Monique. 
Sem costume de ficar atrás no placar, o alvinegro intensificou ainda mais a pressão no Asjaques e conseguiu o empate. Aos 20, em lance de velocidade, a camisa 33, Thaisinha, recebeu dentro da área, com o domínio ela tirou a marcadora e chutou forte no meio do gol, praticamente à queima roupa da goleira. O gol mudou completamente o comportamento do alvinegro na partida, que se encontrou e conseguiu encaixar as jogadas . 
Logo aos 22, o Corinthians alcançou o terceiro com Cássia. Em cruzamento dentro da área, ela dominou, tirou a marcadora e chutou forte para dentro do gol, de forma muito parecida com o gol anterior. O Corinthians passou a se sentir mais à vontade na partida e o Asjaques, também sentindo que poderia chegar, afrouxa um pouco a marcação e permite o alvinegro fique à frente novamente. 
Em jogada de velocidade pela esquerda aos 24, o Corinthians faz mais um. Cássia chutou, a goleira faz a defesa e a bola sobrou para a camisa 5, Bárbara, que colocou para dentro do gol. Com essa vitória, o Corinthians se classificou para a fase de mata mata como líder de seu grupo e o Asjaques em segundo lugar. Ambos os times poderão se encontrar na próxima fase, caso consigam chegar às semifinais. Os primeiros adversários das equipes serão conhecidas no chaveamento. 

Voltar